O marketing digital está sendo a grande ferramenta na qual as empresas têm investido nos últimos anos para ganhar competitividade e reduzir custos de divulgação e relacionamento.

A equação não é tão trivial como muitos pensam. Fazer caseiramente, sem um direcionamento estratégico e profissionalismo, além de desperdiçar recursos, pode comprometer resultados, imagem, reputação, relacionamento… Por outro lado, se bem estruturado, BINGO!

Conheça algumas razões que fazem o marketing digital ter tamanha importância e inclua-se no ecossistema digital para não ficar “out” do digital world f marketing!

Em se tratando de marketing digital, dados e informações são os grandes orientadores das ações.
Para ser bem-sucedido, as atividades do marketing digital devem pautar-se pela coleta, análise, transformação e uso de dados para compreender o mercado. Mais além: compreender o comportamento individual dos consumidores, que também se tornaram formadores de opinião, bem como entender seus diversos públicos. Para resumir, dados transformados em informação para entender o consumidor. Desta forma, concluímos que os dados são bússolas de comportamento.

Comportamento: saber como se comportam ferramentas e consumidores é o primeiro passo para integrar comunicação e audiência.

Para criar estratégias de comunicação digital, é imperativo aprender como o comportamento impulsiona mensagens e como processos criativos e campanhas estratégicas devem ser construídos. São esses aspectos que marcarão as ações de sucesso no marketing digital. Ainda que, como parte de redes sociais complexas, o indivíduo requer e precisa da personalização da mensagem encaminhada a ele.

Funil de vendas, personas… entenda esse vocabulário e explore seu potencial.

Se hoje está bem claro sobre a necessidade de compreensão do comportamento para criar boas experiências e cativar o consumidor, que sabemos que está mais infiel às marcas do que nunca, o futuro aponta para a valorização do indivíduo, ou persona, com características e comportamento único, diversos de outros indivíduos ou grupos apenas “similares”.

E quando se fala em funil de vendas, ou do início do interesse até a conclusão de uma venda, deve-se entender que comportamentos e individualidade definem sucesso das ações em todas as áreas: atendimento, produto, serviço, preço, entrega, valores, experiência e muito mais.

Portanto, olhar para o funil de vendas tradicional pode ser problemático: o modelo está em constante mudança e o consumidor em busca de novas experiências, ainda que para atividades já conhecidas. O passo a passo do processo de venda com pouca oportunidade de compartilhar a experiência de pesquisa e compra, que é crucial para interagir com os fãs e obter mais pessoas em seu funil, pode afastar ou restringir o acesso de antigos e novos consumidores.

Análises e entendimento. Informações e decisões. Segmentos e grupos. Cuidados nesses passos!

Podemos definir, simploriamente, segmentação como a atividade de dividir o mercado de forma a melhor identificar grupos ou indivíduos e, assim, encontrar o público ideal. Isso permite maior assertividade ou gastar apenas o que é necessário para falar com o público desejado.

É preciso entender grupos e indivíduos para definir públicos. Após isso, as marcas precisam encontrar os elementos criativos individuais dentro de seus anúncios que funcionam melhor para cada um deles. Analisar quais variáveis permitem uma ação mais efetiva e eficaz é, portanto, fundamental. Aqui o marketing digital é a ferramenta, ou a plataforma, ideal.

Na estratégia de marketing digital, alguns sites, ou ferramentas deles, como o Google, Facebook, LinkedIn, têm algumas das variáveis mais específicas para a publicidade. É possível segmentar desde grupos por idade até por interesses, localização, comportamentos, inclinações políticas e muito mais. Entender e aplicar as variáveis permite encontrar o que realmente funciona para os públicos definidos e comunicar de forma mais eficiente.

Amigos, amigos. Negócios mais fáceis!

Promover um ambiente colaborativo, por meio de uma atmosfera adequada à participação e ao envolvimento, é o caminho para aprender com o público on-line. Nessa interação, será possível obter feedback honesto sobre a comunicação, campanhas e mensagens. Integrar esse público está cada vez mais sendo utilizado como geração de fãs que trazem visões diferentes sobre sua marca. Então, disponibilize conteúdo atraente, relevante, novo e encontre fãs leais. Incentive as interações que os fãs escrevam, “twittem”, fotografem, compartilhem vídeos etc.  Crie amigos! Recompensá-los pela participação e lealdade fará uma grande diferença entre o sucesso ou o fracasso das campanhas. Importante: cada dia mais, não basta ouvir seu público. É preciso responder e interagir.

Marketing digital: ciência ou arte?

Acreditamos que um pouco de cada e muito dos dois. Para finalizar, lembre que marketing digital é uma ciência que identifica e interpreta os dados e comportamentos. E que também é  uma arte ao utilizar os dados para construir relacionamentos, valorizar a marca e proteger a reputação. Enfim, ter maior competitividade e crescimento.

Roberto Alonso.